local_library O ansiado dia - Kono oto Tomare! S1E5

Publicado por: Ciclista - Há: 4 meses atrás
Categoria: Resenhas



Avisos Prévios

Deixarei-vos estes prévios avisos em todas as resenhas deste quadro:

 

             Esta resenha é exclusivamente sobre o episódio 5 de Kono oto Tomare! ("Stop this Sound!") e pertence ao novo quadro de criação de conteúdos do site. Se ainda não acompanhaste as reviews anteriores, clique nos nomes coloridos abaixo:

 

Review Semanal - Kono oto Tomare! - S1E1

Review Semanal - Kono oto Tomare! S1E2

O pior protagonista da temporada? - Kono oto Tomare!

A primeira nota retumbante - Kono oto Tomare! S1E4

 

       Não é de minha pretensão descrever o episódio, tampouco compará-lo com episódios posteriores ou com cenas do mangá, portanto não terão spoilers aqui. mas ainda assim recomendo que só leia esta resenha após ter assistido ao quinto episódio, pois assim compartilharemos experiências simetricamente.


Análise e Comentários

 

       Ual, então o dia da apresentação finalmente chegou! Mas antes de tudo precisamos ressaltar a reação chocante de Houzuki logo no começo do episódio, duas semanas antes da apresentação, ela realmente sentiu-se arrependida por todas as vezes em que foi rude com Kudou, abalroando-se diretamente com a velha frase " quanto menos se conhece alguém, mais corremos o risco de construir a sua imagem de maneira distorcida ", e isso certamente influenciou positivamente o vínculo das personagens durante os treinos.

 

       Antes de falar do show em si, comentarei também sobre os personagens secundários, já que não abordei sobre eles nas reviews anteriores. Quem diabos afinal é esse conselheiro do clube de koto, Takinami? Do nada esse personagem surgiu com um tom misterioso em uma cena curta, pergunto-me se ele é o mesmo que apareceu durante a preview do próximo episódio. A vovó apesar de ser rabugenta, orientou em varios momentos o clube, dando-lhes uma luz sobre o instrumento, e mesmo assim Chika sempre pega no seu pé, e isso torna as cenas hilárias. Foi revelado também nesse episódio que a velhinha sempre cuidou do clube de koto. O diretor, o avô de Chika e em especial o Tetsuki se demonstraram personagens confiáveis, além de intrigantes. Sabiamos que Tetsuki era bacana, mas poxa vida, a história dele com Chika me pegou de jeito, devo admitir.

       Passados mais duas semanas, chega então o ansiado dia. Dado a inexperiência de Takezou para comportar-se como um líder, Satowa, uma digna profissional, teve de assumir esse papel para acalmar os nervos do clube, sobretudo dos co-protagonistas, que aparentemente sequer tiveram contato alguma vez na vida com o público adiante. Essa conversão de papéis entre Takezou e Satowa, embora angustiante para nós que tanto criticamos a impresença do representante, tornar-se-á crucial para o momento, onde a experiência fala mais alto do que o orgulho.

 

       A desconsideração do vice-diretor ao apresentar o grupo fez com que as expectativas do público para o show fossem miúdas e, desse modo, o nervosismo geral fora suprimido. Em razão disso, Takezou finalmente exprime seu destemor para a platéia, dizendo tudo o que sentia no momento sem medir palavras, antes que Chika estragasse tudo violentamente:  " Se isso for engraçado para você, então vá em frente e ria. Se isso for chato para você, então vá em frente e reclame. Independentemente, eu não quero perder meus preciosos amigos ou o lugar a que pertenço, então vamos tocar essa peça até o fim ". Aqui vemos um pequeno líder intrépido e virtuoso em desenvolvimento!

 

       O som enfim começa. Algumas pessoas reclamaram sobre a quantidade de flashbacks durante a apresentação, mas acredito que eles não só foram bem postos, como também eram necessários, pois complementam a dica que a vovó deu ao clube: " Por que estão tocando? Quem vocês querem que sua música alcance? Apenas de estar um pouco consciente disso muda seu tom completamente. Tentem tocar como se estivessem dizendo o que querem contar àqueles que amam ". Ademais, de fato cada um do clube (bem, menos os co-protagonistas) tinha um bom motivo para estar ali tocando. Querendo ou não, as nossas ações são diretamente influenciadas por nosso mindset.

 

 

    Conheço algumas pessoas que agem semelhantemente ao Chika no passado, desacreditado de si mesmo e desconfiado de outras pessoas, em outras palavras, infeliz. Um de meus colegas repetiu 2 anos na escola meramente porque não se sentia a vontade relacionando-se com outras pessoas, ele não era bagunceiro, tampouco burro, apenas sentia desgosto para interagir. Se por algum motivo você se identifica com isso, caro dreamer, eu vos digo: chore, queira matar, queira morrer, se decepcione e desista. Mas re-exista. Se reconstrua e por mais que as coisas estejam ruins, não se enterre. Tenha 10 segundos de confiança, nem que seja falsa, e prove para si mesmo que a única coisa que passa por cima de você são as mudanças positivas que você buscar para si mesmo.

 

       A maneira com que Houzuki improvisou para ressincronizar o clube foi incrível, aqui novamente a experiência falou mais alto. O solo de Chika somados à má impressão da escola sobre o mesmo, e aos impactos emocionais causados pelos flashbacks com seu avô e seu melhor amigo Tetsuki, trouxe-nos um sentimento singular; " os sons não mentem ". Devo confessar que quase me emocionei nesta cena. Se até aqui você ainda estava indiferente,  no mínimo se arrepiaste com o empurrão final, onde todos em conjunto incorporaram o clímax, invocando um espírito dracônico em suas retaguardas, simplesmente uma performance espetacular.


       Dado o exposto, devo retirar o que eu disse sobre o episódio anterior ter sido o melhor episódio até então, pois esse aqui superou de uma maneira que o episódio 4, junto comigo, está ajoelhado pedindo perdão perante o episódio 5. Está claro o que este episódio significou para a obra, ele finalmente pôde fazer o que o mangá não poderia e, apesar de não ter lido a obra original, sinto que ele realmente atingiu o que se propunhava. Se o episódio 3, em minhas palavras, foi o impulsor da série, este aqui foi o discernidor, abordando a primeira exibição completa de koto. Inclusive, pesquisando a respeito, encontrei um vídeo da peça completa sendo desempenhada ao vivo, caso tenhas curiosidade:

 

 

       Na preview do próximo episódio vimos dois novos personagens, claro, se uma apresentação desse nível não convencesse pelo menos um aluno à se juntar ao clube, não sei o que convenceria. Espero que o koto não seja tão impopular entre os jovens japoneses quanto pareceu no anime, toda a platéia parecia achar aquilo entediante, uma perca de tempo, mas talvez seja por causa do antigo clube de koto da escola, que era incapaz de fazer apresentações decentes. Minhas expectativas para os próximos episódios são para explorar melhor os outros personagens (alô, Takezou) além de Chika, que teve um maior enfoque nesse arco. 

 

Evolução da minha avaliação pessoal do anime:

EP1: 6/10
EP2: 7/10

EP3: 7/10

EP4: 8/10

EP5: 10/10

[...]

 

               Diga-me, caro leitor, o que acrescentarias para a discussão deste episódio? Concordas com tudo o que digo? Sente falta de algo? Abaixo, nos comentários ou em nosso servidor do discord, são os espaços onde podes exprimir tudo o que pensas! >:)

" Dizem que os dragões conectam o céu e a terra, o mundo dos vivos e dos mortos, juntando duas coisas não conectadas. Então Kotos, que são criados para se assemelhar a esses mesmos dragões, conecta os corações dos tocadores e do público ".

 


<< Resenha Anterior                       Clique aqui para assistir Kono oto Tomare!

 

person Sobre o Autor

Ciclista por paixão. Redatora por prazer. Garota tumblr nas horas vagas.

comment Carregando...


local_library Últimas Notícias